Educação - Qualificação e Iniciativa - O mercado exige

De Doisac
Ir para navegação Ir para pesquisar
Erro ao criar miniatura: arquivo não encontrado

Caderno Educação: Qualificação e Iniciativa - Mercado Exige

  • Data de Publicação: 20 de Fevereiro de 2010



Caderno Educação

Qualificação e Iniciativa: O mercado exige

Preparação: Liderança se aprende desde cedo

Sucesso: Escola, cursos, faculdade. Empenho em todas as etapas faz a diferença.


Para crescer

Carta ao Leitor

O mercado de trabalho, hoje, se encontra mais competitivo do que nunca. A exigência por um grau cada vez maior de especialização, mas de habilidades multi também cresce. O fato é que não tem jeito. O preparo e o aprendizado contínuo devem começar cedo.

Por isso o Caderno Educação apresenta uma série de empresas tradicionais e inovadoras, todas, dentro do seu ramo de atuação, capazes de trazer alguma contribuição seja para o perfil em construção dos pequenos, como na qualificação dos mais grandinhos. Além disso, o nosso encarte traz algumas dicas e informações para atualização ou mesmo para a hora da compra. Você não perde por ler. Informação continua sendo palavra de ordem por aqui.


Muito além do conteúdo didático

Educar é antes de tudo um ato de amor. E é por compartilhar desta ideia que a Escola Medianeira acredita que o desafio de acompanhar, em conjunto com a família, o desenvolvimento da criança e do adolescente é maior do que a tarefa de ensinar conteúdos. Afinal, o aprendizado é apenas uma parte da missão de apoiar na construção de um indivíduo que consolide neste tempo valores éticos, capacidade empreendedora e atitudes transformadoras em uma sociedade que precisa cada vez mais de massa crítica, sustentabilidade, consciência ecológica e, sobretudo, da manutenção da paz e da justiça social.

Com turmas na Educação Infantil, Ensino Fundamental I, II e Turno Integral, a escola possui muitos espaços de convivência, e é na relação entre aluno, escola e família que se encontra o norte da sua atuação. Através de ações que fomentam uma postura cidadã e crítica, a Escola Medianeira investe em atividades extracurriculares diversificadas e equipe qualificada de ensino.

Localizada em área privilegiada, ampla e arborizada e a cinco minutos do centro de Santa Maria, une um agradável espaço físico a uma estrutura pedagógica sólida, que aposta na proximidade entre comunidade escolar e família, através de participação constante dos pais nas atividades desenvolvidas na escola.

Mais:

• O início do ano letivo, de 5ª a 8ª série, acontece no próximo dia 22, às 8h. • No dia 22 acontece uma reunião com os Pais e entrega de material da Ed. Infantil à 4ª série às 13h30min; • O início das aulas das turmas de Educação Infantil à 4ª série, dia 23 às 13h30min.


AlemdoconteudodidaticoBrincando.JPG

A Escola Medianeira acredita que o desafio de acompanhar, em conjunto com a família, o desenvolvimento da criança e do adolescente é maior do que a tarefa de ensinar conteúdos.

Créditos: Arquivo Escola Medianeira


Diversidade e qualidade

Produtos diversificados e atendimento a toda família. Esse é um dos diferenciais do Lojão Total. Paulo Vahl, sócio-proprietário, conta que louças, plásticos, alumínio, brinquedos, ferragem, materiais elétricos, peças para fogão, panelas, liquidificadores e material escolar, compõem o cenário da tradicional loja, que segue à risca o slogan “vende mais porque vende mais barato”.

Em Santa Maria há 10 anos, já atende ao segmento escolar há três anos. “Uma das vantagens para a família é que no ato da escolha dos pequenos pelo caderno, canetas de sua preferência, a mãe e o pai podem usufruir também do tempo para encontrar alguns produtos de sua necessidade”, ilustra Vahl.

Outro ponto forte do Lojão Total é a responsabilidade social. Sempre preocupada em contribuir com a sociedade na qual está inserida, a empresa participa da ação Campanha de Volta às Aulas com Solidariedade, promovida pela RBS TV. A ideia é promover o espírito de cidadania e a comoção social e, através da conscientização, favorecer as escolas mais carentes do município.

Quando questionado sobre as expectativas para o ano que iniciou recentemente, o sócio-proprietário vê na continuidade e na legitimidade a possibilidade de firmar o seu compromisso de empresa focada na excelência em atendimento, na diversidade e qualidade dos produtos.

Onde? Como?

Matriz: Rua Dr. Bozano, 870, (55) 3225 4337, (55) 3221 0370

Filial: Av. Rio Branco, 893, (55) 3026 9831/32/33

DiversidadeequalidadepaginadoisDSC 8398.JPG

Opção e diversidade são destaques no Lojão Total.

Créditos: Andrewes Koltermann


Para conquistar

Do you know other languages?

Saber pelo menos uma língua estrangeira é fundamental para conquistar uma boa vaga no mercado de trabalho. Para trabalhar em empresas com capital estrangeiro, por exemplo, saber uma segunda língua é exigência para o currículo dos candidatos.

A dificuldade de aprendizado, no entanto, é uma barreira enorme que impede algumas pessoas de conquistarem melhores cargos. “A Fisk criou um método próprio com base nas dificuldades que os brasileiros apresentam ao aprender inglês e espanhol. O planejamento considera a aprendizagem do aluno de forma dinâmica e participativa, facilitando a fixação da estrutura e dos vocabulários do idioma”, explica a Coordenadora Pedagógica e Diretora Adriana Claudia Martins Fighera.

Para estimular ainda mais a assimilação de uma nova língua, a Fisk promove intercâmbios próprios além de auxiliar aos alunos para outros contatos de intercâmbio. Além de, anualmente, serem organizadas viagens para Toronto e Buenos Aires. Alunos destaque Fisk Nacional ganham uma viagem de intercâmbio para a Flórida mediante pontuação na prova do Fisk Proficiency.

Adriana destaca um dos diferenciais do Fisk: “A Fisk oferece o Ensino Personalizado, é uma opção de aprendizado na qual, apesar de as aulas serem ministradas em grupo, os alunos recebem acompanhamento individualizado do professor”. Os horários são flexíveis, possibilitando aliar o estudo da língua com escola/universidade ou trabalho.

Para uma formação mais completa, a Fisk lançou dois novos cursos, além dos cursos de Inglês e Espanhol: Informática e português para brasileiros.


Paginatres3DSC00746.JPG

Na foto, está a Adriana Fighera, Suzane e Luciana juntamente com seus alunos em uma atividade cultural na Escola Fisk de Camobi.

Créditos: Arquivo Fisk


3tresfisk2Foto Adriana.JPG

Além de coordenadora pedagógica do Centro de Ensino Fisk, Adriana (foto), é professora graduada em Língua Portuguesa e Inglesa, especialista em Língua Portuguesa, mestre em Letras e doutoranda em Educação.

Créditos: Andrewes Koltermann


Fisk3paginatres fachada.JPG

Há mais de cinco décadas, a Fisk construiu uma marca de sucesso no Brasil e no mundo. Destacou-se como uma rede de ensino moderna, atualizada e responsável. Está sempre ligada ao seu tempo, sempre evoluindo e inovando. São mais de 1.000 unidades espalhadas por 6 países: Brasil, Argentina, Angola, EUA, Japão e Paraguai.

Créditos: Andrewes Koltermann


MAIS

O segundo idioma faz a diferença

A cada dia que passa, aumentam as vagas de emprego que requerem um segundo idioma. Inglês e Espanhol são os idiomas que mais estão crescendo no Brasil, consequentemente os mais requisitados. Isso porque cada vez mais empresas de outros países estão vindo para o mercado brasileiro.

O fato é que na hora de conseguir um emprego, ter conhecimento avançado sobre uma segunda língua é fundamental. Para quem pretende ir morar fora do Brasil, dominar o inglês pode facilitar a adaptação. As viagens a passeio para o exterior também podem ser menos desastrosas quando se domina o inglês. No vestibular, quem domina uma língua estrangeira pode fechar as questões e isso pode ajudar na nota de classificação. E mais: inglês é o idioma das redes sociais e do mundo dos negócios.


Para conhecer

Intercâmbio: trabalho, estudo e lazer

Sair da escola e ingressar na universidade expande a visão de mundo do estudante. A experiência acadêmica é maximizada quando se faz uma viagem para o exterior, seja para estudo, trabalho ou lazer. Os estudantes que passaram por essa experiência puderam aperfeiçoar ou aprender uma nova língua, conviver com uma nova cultura, reciclar velhas ideias e adquirir novas percepções.

Priscila Berger viajou, em 2009, para Cairo, no Egito, para um estágio na área de Marketing: “Motivou-me a isso o interesse por ver o mundo sob uma diferente perspectiva, desenvolver-me profissional e pessoalmente e aventurar-me no desafio de estruturar minha vida num ambiente diverso”. O intercâmbio durou oito meses, e além da oportunidade de trabalho, o fato do Egito ser uma civilização diferente contou para a escolha do destino.

Josi Lorensini decidiu, assim de terminar a faculdade, vivenciar a experiência de morar em um País estrangeiro, com o objetivo de melhorar o inglês. De 2006 a 2009, Josi viveu na Inglaterra e já faz planos para voltar. Assim como Priscila: “Creio que viajar e experimentar uma nova cultura, seus diferentes sabores, perfumes, cores, moda, paisagem, idioma e tudo mais, é o melhor investimento de tempo, dinheiro e energia”.

Priscila faz uma avaliação geral de como foi o intercâmbio: “O desafio de organizar a vida num ambiente estranho, longe do familiar, gera por vezes crises, questionamentos, dúvidas e fragilidade, mas quando superados, resultam em melhor autoconhecimento, segurança, empatia e resistência”.

O intercâmbio fortalece a relação com quem ficou no País de origem, como conta Josi: “Durante o tempo em que estive lá passei a valorizar ainda mais as pessoas das quais estive longe, principalmente aquelas que sempre se fizeram perto. Descobri, na prática, que a distância não consegue acabar com relacionamentos que a gente não quer que acabem”.


Bergerpagina4 priscila.jpg

Priscila relata que “há muita diferença entre obter informações sobre um País ou uma cultura e ver com os próprios olhos, testemunhar, experimentar as coisas como de fato são”.

Créditos: Arquivo pessoal


Lorensinifoto4pagina4Foto josi.JPG

Josi conta que viver em um País que não é o nosso de origem apresenta coisas fora do comum, inclusive em situações rotineiras: “Atravessar a rua, por exemplo, era bem engraçado no começo porque o trânsito deles é completamente ao contrário do nosso. Depois de um tempo me acostumei e tive até que me readaptar ao trânsito daqui na volta”.

Créditos: Arquivo pessoal



Fisk3paginatres fachada.JPG