SEARCH
TOOLBOX
modified on 10 de janeiro de 2011 at 16h52min ••• 2 564 views

Saúde: Nefrologia e Geriatria

De Wiki.dois

EspecialnegroegeriatCapa.JPG

Saúde - Nefrologia e Geriatria

  • Data de Publicação: 30 de junho de 2009



Tabela de conteúdo

Saúde

  • Especial Nefrologia e Gereatria
  • Envelhecer bem é bom
  • Conselho Médico: Saiba mais sobre alimentação na terceira idade
  • Estética & Saúde: Maturidade saudável também tem haver com comer bem e ficar em paz com o espelho


Feliz idade

Carta ao leitor

Com o aumento da expectativa de vida, os idosos necessitam da assistência de profissionais preparados especialmente para atendê-los. Mas precisam mais: necessitam de atenção em todos quesitos. Informação é um dos principais. Por isso, o Caderno Saúde está preocupado com a qualidade de vida dessa fatia da população. A idéia é trazer para foco alguns assuntos importantes e auxiliar aqueles que vivem a chamada “melhor idade” com tranquilidade. Você não perde por ler. E fica a dica: “Respeitar o idoso é respeitar o seu próprio futuro”.

Cartaaoleitor1Foto editorial.jpg


Bom, bonito e saudável

Além de ser a oportunidade de trazer mais variedade ao cardápio, a opção pelo bufê é mais rica nutricionalmente e mais econômica. Com o acompanhamento de uma nutricionista, responsável por avaliar as necessidades básicas e primar pelo cuidado na conservação dos alimentos, a opção pelo sistema de bufê por quilo é a melhor pedida. Diante das opções servidas, a consciência na hora da escolha é fundamental para que o prato montado seja uma rica fonte de nutrientes e vitaminas. “Os pratos devem conter, no mínimo, cinco cores”, sugere Juliana Schuch, nutricionista e proprietária do restaurante Via Gastronômica.

Carboidratos são fundamentais na dieta, contudo, devem ser consumidos com moderação, assim como lipídios. Já legumes e verduras devem ser diversificados, trazendo várias cores ao prato. Além de conquistar pelos olhos, esse colorido é responsável pela manutenção da saúde e das necessidades nutricionais. “No Via Gastronômica, todos os cuidados possíveis são tomados, para garantir qualidade e variedade nos pratos oferecidos”, destaca Juliana. Rico em variedade, o bufê do restaurante é boa pedida para quem quer alimentar-se bem, com comodidade e conforto.

Mais

Estudos mostram que dentre os fatores que podem condicionar a qualidade de vida e a longevidade do ser humano, a nutrição é um dos principais, sendo que várias mudanças decorrentes do processo de envelhecimento podem ser atenuadas com uma alimentação adequada e balanceada nos aspectos dietéticos e nutritivos. O fracionamento das refeições, assim como a diminuição do seu volume contribuem para o processo de digestão, absorção e aproveitamento dos alimentos. Recomenda-se o consumo de quatro a seis refeições diárias. O uso de carboidratos complexos e fibras na dieta são altamente indicados por serem importantes na prevenção e controle de doenças cardiovasculares, diabetes, constipação, entre outras, comuns nesta fase da vida.


Maturidade & Beleza

Cada dia mais bela

Que mulher não adoraria viver assim? O fato, no entanto, é que ao conferirem os sinais da passagem do tempo no rosto e no corpo, elas se deparam com o medo da velhice e com a angústia por ver no espelho a beleza perder-se no tempo. Mas a Medicina Estética assume o papel de aliada da mulher. Para falar sobre o assunto, conversamos com Fabíola Kleinert, médica pós-graduada em Medicina Estética e responsável pela Clínica MedSpa em Santa Maria.

Foto fabiola.jpg


Créditos: Pubblicità


Saúde - Cada vez mais, a mulher na terceira idade vem perdendo aquele estigma de “vovó”. Quais são os principais tratamentos indicados para as mulheres que já passaram dos 60?

Fabíola - Atualmente, as mulheres acima dos 60 anos vêm procurando com grande frequência tratamentos estéticos, tanto faciais como corporais. Isto porque as pessoas nessa idade têm uma saúde física e mental muito acima do que há algumas décadas. Isso faz com que sejam mais ativas e queiram transmitir esta vitalidade também através da aparência. Nessa faixa etária, as correções estéticas mais procuradas são as remoções de manchas e vasinhos (através de peeling ou laser), rugas da testa, olhos e lábios (corrigidos com aplicação de toxina botulínica, preenchimento com ácido hialurônico ou laser), aumento do volume e definição do contorno labial e preenchimento de sulcos (aplicação de ácido hialurônico), e flacidez facial (através de aplicação de radiofrequência).

Saúde - Como as mulheres, desde mais novas, podem cuidar da sua beleza para que cheguem à terceira idade com pele e corpo em dia?

Fabíola - Existem muitos recursos para prevenir e atenuar os sinais do envelhecimento. Aplicação diária de filtro solar, prevenção de rugas com uso de toxina botulínica, peelings para remodelação do colágeno e preenchimento de sulcos e lábios ou, ainda, laser para estimulo de colágeno e redução de manchas e rugas. Para o corpo, a dieta e a atividade física são cuidados essenciais tanto para a saúde como para a estética corporal, podendo ser aliados tratamentos para redução de medidas e celulite, como endermologia e carboxiterapia.

Saúde - Não há contra-indicações para mulheres de idade mais avançada?

Fabíola - Hoje, todos os tratamentos são minimamente invasivos, realizados no consultório médico e não requerem o afastamento das atividades diárias. As contra-indicações existem, mas são poucas. Elas irão depender das condições de saúde e do tipo de procedimento que a paciente irá se submeter.

Saúde - Como a MedSpa se preocupa com a manutenção da beleza das mulheres de maior idade?

Fabíola - A vaidade não tem idade. Não é porque a mulher passou dos sessenta anos ou tornou-se avó ou não deve se preocupar com o seu bem-estar e autoestima. Pelo contrário: a aparência é fundamental para a saúde do idoso porque está associada à saúde psicológica. O importante é estar e sentir-se bem com a idade que a pessoa tem. E é isso que passamos. Outro destaque é que todos os pacientes na clinica MedSpa recebem tratamento individualizado e personalizado. Os procedimentos são indicados conforme as características pessoais e físicas do paciente, bem como de acordo com suas potencialidades e limitações.


Sorriso bonito não tem idade

Com o aumento da expectativa de vida de homens e mulheres, o número de idosos no País vem crescendo nos últimos anos. O envelhecimento da população tem provocado preocupações quanto à saúde e à qualidade de vida das pessoas nesta faixa etária. No geral, promove-se o cuidado com o organismo e a prevenção de doenças, mas bem-estar não se resume só a isso. Por meio dos cuidados estéticos, os idosos podem restabelecer a confiança neles mesmos e reintegrarem-se ao meio social.

Neste sentido, a preservação da saúde bucal também ganha destaque, especialmente porque, na terceira idade, diversos problemas odontológicos se agravam, tais como PROBLEMAS PERIODONTAIS cáries, bruxismo e/ OU desgaste dos dentes. De acordo com Estela Maris Jurach, que é doutoranda em Ortodontia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), além de professora da UFSM, o tratamento de problemas odontológicos em idosos é mais complicado do que em jovens. “Nos adultos, geralmente o tratamento demora mais. A movimentação dentária se faz mais lentamente”. Por isso, é importante procurar tratamento com um profissional bem qualificado. Mesmo com a preocupação com as condições bucais, Estela afirma que a principal motivação para procurar um ortodOntista é estética. Para a especialista, usar aparelho dental na terceira idade, por exemplo, já é uma prática bem difundida, mesmo entre os idosos. Nada melhor que um sorriso bonito para demonstrar a felicidade de estar bem consigo mesmo, independente da idade.

  • Vida e saúde – Cada vez mais os adultos procuram tratamento ortodôntico. Na clínica o índice chega a 50%. Para conciliar o tratamento do Ortodontista com problemas bucais que podem estar presentes e que exigem atenção especial de outros especialistas, Estela revela que a atuação é conjunta. Quando o adulto apresenta problemas periodontais, por exemplo, deve sempre fazer um acompanhamento e tratamento com o Periodontista antes e durante o tratamento ordotôntico. O problema periodontal não impede o uso do aparelho. “Ao contrário, a ortodontia irá melhorar as condições bucais do paciente”, diz ela.


SorrisobonitonaotemidadeEstela.JPG

Estela Maris Jurach

Crédito: Divulgação


Vida longa e bem-estar

O sinal do tempo...

Nos olhos

Não são só as rugas que traduzem no corpo a passagem do tempo. A visão também sofre com o passar dos anos. De acordo com a oftalmologista Liliane Weber, com o avanço da idade teremos também o envelhecimento das estruturas do olho e, como consequência, o maior aparecimento das patologias relacionadas à senilidade. Ela revela que os principais problemas que afetam as pessoas acima de 50 anos são a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), o glaucoma, a catarata e a retinopatia diabética. Alterações e perdas da visão, na terceira idade, têm várias origens, sendo uma delas a própria idade. É o caso da catarata. A predisposição genética, por sua vez, aparece como causa no glaucoma e, na degeneração macular relacionada à idade, a pele clara geralmente é um fator importante. Já para a retinopatia diabética, o mau controle da glicose ao longo dos anos é um vilão. E atenção: São diversas as causas que podem ajudar no desencadeamento das alterações oculares. Uso de colírios por conta própria, obesidade, mau controle de doenças cardiovasculares e metabólicas, além do hábito de fumar e dieta inadequada são comportamentos que devem ser excluídos da rotina. Sempre recorrer ao especialista logo que notar algo diferente é a dica de Liliane.


No sistema imunológico

O envelhecimento traz consigo diversas mudanças no estado de saúde, e também no que diz respeito ao sistema imunológico. Junto a hábitos saudáveis, a vacinação é uma das formas do idoso reforçar a imunidade corporal e evitar doenças preveníveis. As vacinas mais indicadas são contra a gripe ou Influenza, que deve ser tomada anualmente, contra a difteria e tétano (vacina dupla tipo adulto, aplicada em uma dose a cada dez anos) e contra a pneumonia (vacina Pneumocócica que pode ser repetida após cinco anos, por indicação médica). Segundo Wilson Juchem, médico e diretor técnico da clínica de vacinas Multivacin, as vacinas têm sido fator determinante para a diminuição no número de internações e óbitos, bem como para o aumento na melhora da qualidade e expectativa de vida. Ele lembra, ainda, que é cada vez maior o hábito de visitar lugares distantes, tanto dentro como fora do País. Para garantir uma viagem tranquila, o médico recomenda que os idosos procurem informações sobre as doenças predominantes nos locais a serem visitados, para que possam se prevenir de maneira adequada contra doenças como a hepatite A, febre amarela, febre tifoide e diarreia do viajante.


No aparelho auditivo

A perda auditiva chega a afetar de 25 a 30 milhões de pessoas no Brasil, sendo grande parte deste grupo os idosos. As pesquisas mais recentes revelam que aproximadamente 40% das pessoas acima de 60 anos possui algum problema auditivo e mais: esse número cresce para 80% quando se trata de idosos acima de 75 anos. É o que conta Paola Beltrami, fonoaudióloga, que atua na Ouvesom, em Santa Maria. Segundo a especialista, o principal distúrbio auditivo que acomete os idosos é a presbiacusia, que é definida como a diminuição auditiva relacionada com o envelhecimento, por alterações degenerativas fazendo parte de um processo global de envelhecimento do organismo. Outro ponto que Paola destaca é o fato do idoso ser visto, principalmente pelos familiares, como confuso, desorientado, distraído e não colaborador. Com isso ele fica ansioso e frustrado por não entender aquilo que escuta. E isso pode resultar até em depressão. Ajudar as pessoas com problemas de audição, respeitando suas limitações, é fundamental. E fica a dica: Na hora do famoso “check up”, é preciso incluir a avaliação audiológica.


No bem-estar

A população idosa ocupa pelo menos 50% dos atendimentos da Sedare, clínica localizada também em Santa Maria e especializada em dor. Conforme a médica anestesiologista, Márcia Kuboki, que atua junto à doutora Miriam Seligman Menezes, como responsável pela clínica, com o avanço na área médica nas últimas décadas, a expectativa de vida aumentou muito e com ela temos o aparecimento de doenças degenerativas que podem ocasionar dor. O alerta de Márcia é o cuidado quanto ao tipo de tratamento, bem como com as drogas a serem utilizadas: “geralmente, os idosos têm outras doenças associadas, hipertensão arterial sistêmica, arritmias cardíacas, diminuição da função renal e hepática e diabetes, entre outras. E como já vêm fazendo uso de outros medicamentos, é importante lembrar que não devem abusar da auto-medicação”. As dores geralmente tem sua etilogia no sistema osteomuscular devido a um envelhecimento ósseo, muscular e cartilaginoso e algumas doenças neoplásicas (câncer). No tratamento, as técnicas invasivas, sempre que possível, devem ser evitadas. “Considerar o risco-benefício das mesmas, expectativa de vida e efeitos colaterais é fundamental”, ressalta Márcia.


Mais

  • Senilidade: Enfraquecimento determinado pela velhice.
  • DMRI: A mácula é a porção central da retina, responsável pela visão detalhada e central. E é esta a parte do olho que é afetada pela doença. Há duas formas, a "seco" (atrófica) e a "úmida" (hemorrágica).
  • Glaucoma: Endurecimento do globo ocular, por excesso da tensão interna, que pode provocar diminuição da visão se não tratada.
  • Catarata: É uma doença conhecida há milhares de anos e sua cirurgia já é realizada há séculos. Pode ser desencadeada por vários fatores, como traumatismo, idade, diabetes e uso de medicamentos, entre outros.
  • Retinopatia diabética: Dano progressivo à circulação da retina ocular causado por diabetes prolongada não controlada.