SEARCH
TOOLBOX
modified on 18 de novembro de 2010 at 18h14min ••• 1 970 views

Saúde: Cardiologia e Oftalmologia

De Wiki.dois

Nova Imagem.jpg

Saúde - Cardiologia e Oftalmologia

  • Data de Publicação: 20 de setembro de 2008



Tabela de conteúdo

Especial Cardiologia e Oftalmologia

Manchete principal:

Olhos para ver, coração para sentir

Nesta edição: Conheça a posição e os conselhos de especialistas sobre a saúde do coração e a dos olhos. Leia também sobre saúde da mulher, vida sem dor e esporte.


Coração & Saúde

A cada pequeno coração doente, dois em sofrimento


A malformação cardíaca congênita, também conhecida como cardiopatia congênita, é uma das malformações mais comuns entre os bebês. Mesmo assim, pouco se sabe sobre a doença caracterizada por imperfeições cardíacas que estão presentes desde o nascimento da criança. Os sintomas variam de acordo com o tipo e gravidade da patologia, mas entre eles estão a falta de ar e a cianose (caracterizada pela pele azulada ou arroxeada). Em alguns casos, não há necessidade de tratamento e, em outros, a cirurgia é aconselhada. Hoje, mesmo sem que os sintomas sejam percebidos, já é possível diagnosticar a doença. E isso pode ser feito logo após o parto ou mesmo durante a gestação. O exame que permite este diagnóstico é a ecocardiografia fetal que, infelizmente, ainda não faz parte da maioria dos pré-natais de rotina. Isso prejudica a constatação da doença que acaba, devido ao seu mau prognóstico, sendo responsável por cerca de 10% dos óbitos infantis, conforme o Programa Nacional de Prevenção em Epidemiologia.


A REAÇÃO DOS PAIS - Os avanços na medicina proporcionaram um diagnóstico mais precoce da doença, facilitando o tratamento e melhorando a qualidade de vida das crianças. Mas como reagem os pais ao saberem que seus filhos, mesmo aqueles que ainda não nasceram, possuem tal enfermidade? As reações mais freqüentes ao diagnóstico são choque, acompanhado de um sentimento intenso de desamparo, tristeza e raiva. As informações são da psicóloga da Clínica de Crianças e Adolescentes Miguel Meirelles, Cristina Kruel, que estuda há três anos os aspectos emocionais envolvidos neste processo. Ela constatou que pais que não recebem o atendimento psicológico adequado podem ter dificuldades em lidar com a situação: “é possível que eles mantenham-se distantes do bebê, uma vez que eles sabem dos riscos de morte da criança. Além disso, podem surgir conflitos conjugais, depressão e a atitude de culpar a equipe médica pela malformação do bebê”.

Segundo a especialista, para que o sofrimento seja minimizado é importante que os pais conheçam a doença e o que pode ser feito através da exposição destas informações pela equipe da saúde. Cristina afirma que “as informações permitem que os pais se apropriem deste conhecimento e sintam-se mais seguros durante os procedimentos de saúde que devem ser realizados”. Ela ressalta que a equipe médica deve estar preparada para dar tal diagnóstico, pois estes primeiros momentos de aconselhamento aos pais podem causar uma duradoura impressão. A Sociedade Brasileira de Cardiologia preconiza que o sucesso do tratamento das doenças cardíacas em bebês depende da realização do exame para detectar malformações durante o pré-natal. De acordo com a organização, embora a maioria das doenças cardíacas tenha influência genética, a importância do exame reside no fato de que todas as gestantes podem gerar filhos com doenças cardíacas de nascença. Para os pais e mães, donos dos corações mais preocupados com a saúde do filho, fica o alerta.


Fotocardiopatia.jpg

O pré-natal é fundamental para a saúde do bebê e tranqüilidade dos pais.

Créditos: Divulgação


  • CIÊNCIA EM AÇÃO: Agora que doenças podem ser descobertas antes mesmo do nascimento, novas possibilidades de tratamento são encontradas. A bióloga diretora científica do Hereditare - Centro de Genética Médica e Biologia Molecular, Sandra Leistner-Segal, fala sobre uma alternativa que ainda está em fase de testes: a terapia gênica. Segundo ela, “a terapia consiste em “consertar” um gene defeituoso, e tem demonstrado ser um potencial tratamento para doenças cardiovasculares complexas como hipertensão, arterosclerose e isquemia miocárdica em vários modelos animais”. O tratamento é promissor, pois se acredita que quase toda doença humana possui um componente genético envolvido em seu aparecimento ou desenvolvimento. Esta é apenas uma das possibilidades da biologia molecular, área que tem despertado muito interesse entre os estudiosos da saúde. Sandra, mestre em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e PhD em Biologia Molecular pela University of London, explica o porquê: “É bem provável que num futuro próximo, você consiga saber quais as chances que possui de adquirir determinada doença, ficando mais fácil a prevenção através da mudança de hábitos”.


Cardiologia e Odontologia

Cuide do seu coração: Vá ao dentista!


A preocupação com a saúde bucal não é vista com a mesma importância por todas as pessoas. Algumas consideram como questão estética e não como cuidado obrigatório para o bem-estar do organismo. Porém, o que poucos sabem é que devemos mesmo levar a sério a afirmação de que a saúde começa pela boca. E, um dos principais motivos é o coração. De acordo com o cirurgião dentista Rafael Kowalski, especialista em Implantodontia pela Universidade de São Paulo e Fellow Ship em Implantodontia e Cirurgia Oral, pelo Hospital Ryhov, na Suécia, o coração e os dentes representam uma relação que merece atenção.

Ele explica que as bactérias virulentas presentes na boca, causadoras de doenças como cárie, gengivite, periodontite e abcessos, não ficam limitadas à cavidade oral: “As doenças gengivais podem servir como porta de entrada para outras bactérias oportunistas ou mesmo podem provocar a migração de bactérias da cavidade oral para outros órgãos através da corrente sanguínea”. Segundo o dentista, normalmente, as regiões mais afetadas são o coração, o pulmão, o fígado, articulações e placenta.

Alan Binotto, ortodontista e diretor da Uningá SM, conta que existem diversas teorias para explicar a correlação entre a doença periodontal e doenças cardiovasculares. Confirmando o alerta de Kowalski, ele revela que uma delas diz que a bactéria bucal pode afetar o coração quando cai na corrente sangüínea, ligando-se a placas de gordura nas artérias coronárias (vasos sangüíneos no coração). Conforme Binotto, assim as bactérias podem contribuir para a formação de um coágulo e promover o problema. “Coágulos sangüíneos podem obstruir a circulação normal de sangue, restringindo a quantidade de nutrientes e oxigênio necessários para o funcionamento adequado do coração. Isto pode levar a um ataque cardíaco e uma outra possibilidade é que a inflamação causada pela doença periodontal aumente a formação da placa ateromatosa, o que pode contribuir para a obstrução das artérias”, ressalta o dentista.


Fotodente.jpg

O coração e os dentes representam uma relação que merece atenção.

Créditos: Divulgação


BACTÉRIA, A VILÃ - Kowalski revela que um problema cardíaco freqüentemente relacionado a um foco de infecção bucal é a endocardite bacteriana. A endocardite infecciosa, segundo ele, é a colonização bacteriana da camada interna do coração. Pode ser aguda e subaguda. A aguda pode evoluir rapidamente para a morte e costuma provocar infecções no cérebro, rins, fígado e olhos. Na subaguda, a evolução é mais lenta, “mas em ambos os casos, as bactérias podem ter origem bucal”, alerta o dentista. Nesse contexto, a eliminação das inflamações gengivais, além de provocar vários benefícios para os pacientes pode prevenir as infecções cardíacas em paciente suscetíveis a endocardite.

Deste modo, mesmo que a ciência e a pesquisa ainda muito tenham de se empenhar para fortalecer a idéia de que os componentes infecciosos e inflamatórios podem contribuir para a ocorrência das doenças cardiovasculares e de outras tantas, o alerta é de fundamental importância. “Certamente, serão necessários muitos anos de estudo para compreender totalmente o modo pelo qual a doença periodontal pode modular o risco cardiovascular e se a terapia periodontal pode atenuar este risco, mas urge a necessidade de perceber a saúde bucal muito além do sorriso”, finaliza Binotto.


Saúde a olhos vistos

Cuidados com os olhos vão além da visão


Os olhos são a janela da alma, já dizia o ditado. Mais do que responsáveis pela visão, eles demonstram emoções, questionam, e servem de inspiração para poetas e músicos. Vinícius de Moraes fez o “poema dos olhos da amada”, Carlos Drummond de Andrade já citou em suas obras perguntas que somente os olhos poderiam responder. Mas não são só os artistas que percebem que os sentidos parecem estar ligados, de uma ou outra forma, a estes órgãos.

De acordo com especialistas, eles podem contribuir também no diagnóstico e acompanhamento médico de várias doenças que não estão relacionadas diretamente com a visão. Entre elas, a hipertensão arterial, diabetes, doenças reumáticas, tuberculose, Aids, ou até tumores intracranianos, que muitas vezes se manifestam primeiro nos olhos. Outras doenças podem estar diretamente ligadas à visão. Segundo o oftalmologista Domingos Terra Filho, as mais comuns são "alterações refracionais (miopia, hipermetropia e astigmatismo), conjuntivites, glaucoma, catarata e doenças da retina”. Elas podem ser percebidas pelos sintomas, que variam de acordo com a doença, ou através de exames, que podem ser feitos em qualquer pessoa, até mesmo em um recém-nascido.


CONSULTA PERIÓDICA DESDE CEDO - Terra Filho explica que o primeiro exame deve ocorrer logo após o nascimento, o chamado teste do olhinho. “Ele poderá detectar catarata congênita, tumores ou alguma malformação”, explica o médico. Na pré-escola, o exame deve ser feito para verificar a existência de miopia, hipermetropia e astigmatismo, que podem estar passando despercebidas pela criança e pelos pais, podendo haver a necessidade de óculos. A partir dos 20 anos, investiga-se a presença de glaucoma e outras alterações que ocorrem em decorrência tempo. Na idade mais avançada, investiga-se fundamentalmente a catarata e as doenças da retina. O especialista aconselha a realização anual de consultas com oftalmologistas a partir dos 20 anos.


Fotoolho.jpg

Os pais precisam atentar para o exame no oftalmo para verificar a existência de algum problema como a necessidade de óculos.

Créditos: Divulgação


É importante saber como cuidar dos olhos de maneira correta

Mitos e crenças quanto ao que deve ser feito para mantê-los saudáveis, podem causar dor de cabeça e até mesmo perda de tempo para quem não sabe o que é realmente certo. Abaixo, são esclarecidas algumas questões:

  • Televisão, computador e videogame prejudicam a visão?

Mito. Mas podem deixar os olhos vermelhos ou ardendo. O oftalmologista Domingos Terra Filho complementa: “No que diz respeito à permanência na frente do computador por tempo prolongado, tem-se já sedimentado pela doutrina científica que na frente ao computador, nossa freqüência de piscar cai em 60%, o que leva a uma queda na lubrificação ocular e um enorme desconforto. Por isso, a recomendação de colírios lubrificantes adequados e com aplicação controlada (com intervalos) pode atenuar estes desconfortos”. O colírio, no entanto, se usado indevidamente, pode ser prejudicial à visão. Por isso, é importante consultar um médico para saber como utilizá-los corretamente.

  • A cenoura fortalece a visão?

Na verdade uma alimentação balanceada e rica em vitaminas, proteínas, cálcio, entre outros é o importante para a saúde geral e dos olhos.

  • Usar óculos de sombra enfraquece a vista?

Mito. Mas segundo o especialista Domingos Terra Filho, “é importante que sejam de boa qualidade com proteção contra radiação ultravioleta”.

  • Ver televisão de perto ou ler em veículos em movimento faz mal para a visão?

Verdade. O especialista Domingos Terra explica que ambas as situações fazem mal à visão fundamentalmente pelo desconforto que acarretam.


Fontes: Conselho Brasileiro de Oftalmologia e médico oftalmologista Domingos Terra Filho.


Uma vida sem dor

Na cabeça, no peito, na barriga...Dor: todo mundo já teve.


Dor: uma experiência emocional desagradável associada a uma lesão real ou potencial. Esta sensação, definida pela Associação Internacional para o Estudo da Dor (IASP) sempre esteve presente na vida das pessoas. Até as mais antigas civilizações preocupavam-se com a questão. Os gregos, por exemplo, abordavam o assunto através da mitologia. Conta-se que Quirón, um centauro conhecedor da medicina, foi atingido pela flecha de Hércules e abdicou de sua imortalidade, devido à grande dor que a ferida lhe causava.

Hoje, independente da época ou da cultura, já se sabe que todas as pessoas sentiram dor em algum momento da vida. E, seja ela aguda ou crônica, o objetivo é encontrar sua causa, tratá-la e curá-la. Entretanto, apenas recentemente a medicina ocidental passou a dar mais atenção ao tratamento da dor. As clínicas na área tiveram início no final da década de 80, mas com enfoque no tratamento de dor aguda, como a pós-operatória - que dura um curto período de tempo. Foi somente com a evolução das pesquisas na indústria farmacêutica que a preocupação com este tratamento aumentou.

A dor crônica, aquela que persiste por meses ou mesmo por anos, é a que mais preocupa quem trabalha com o assunto. A médica da Clínica Sedare, especialista em tratamento da dor, Marcia Kuboki, explica o assunto: “Hoje, sabemos que a dor é um sinal de alerta ao organismo, mas quando não tratada de forma adequada pode cronificar, transformar-se em doença e, levar o paciente à ansiedade, depressão e afastamento de suas atividades laborais como as de lazer”. De acordo com a especialista, a dor persistente, aos poucos, prejudica a qualidade de vida e, ainda, limita a agilidade, as atividades e o bem estar de quem sofre com ela.


Fotocongresso.jpg

Em agosto, a Drª. Marcia Kuboki (esq.) e a Drª. Miriam Menezes participaram do Congresso Mundial de Dor em Glasgow, na Escócia.

Créditos: Arquivo pessoal.


A RAZÃO - As causas para o surgimento da dor são várias. No entanto, algumas delas acontecem devido à correria da vida atual. A sobrecarga de trabalho, o sedentarismo, a falta de tempo para o lazer e, inclusive, para dormir podem contribuir para o aparecimento de dores. Por isso, o melhor é prevenir. A médica Marcia Kuboki fala das conseqüências da falta de prevenção: “quando começamos a sentir dor é que arranjamos um tempo. E isso pode custar caro. Precisamos nos afastar do trabalho e deixar de realizar importantes atividades do cotidiano, o que acaba nos levando à ansiedade e à depressão”. Outros métodos, como a acupuntura, podem amenizar a dor daqueles que querem melhorar sua qualidade de vida. A tradicional prática chinesa, que começou de 4000 a 5000 anos atrás, auxilia na redução das dores e é cada vez mais aceita entre médicos e introduzidas em clínicas especializadas no assunto. O importante é perceber que se os seres mitológicos precisavam abdicar da imortalidade para parar de sentir dor, hoje temos métodos bem menos radicais para minimizar e até curar problemáticas relacionadas. Qualquer que seja a alternativa escolhida, o atual tratamento da dor possui vários benefícios. A qualidade de vida é o melhor deles.


Fotodor1.jpg

Dor: A medicina ainda procura entender a pequena palavra que causa grande sofrimento.

Créditos: Divulgação


  • O CORAÇÃO DÓI?

O tórax é formado por um bom número de órgãos e tecidos que podem se manifestar por sensações dolorosas. Entre as dores mais temidas, estão as chamadas dores do coração e, dentre as quais, a angina do peito e o infarto são as que motivam maiores temores por serem as mais conhecidas e consideradas como fatais. A angina pectoris é um tipo de dor que o paciente sente no peito, braço ou nuca e que aparece com a realização de esforços ou emoções ou mesmo sem fator provocador aparente. A angina é uma dor que provoca medo. É uma dor que costuma deixar o paciente imóvel, assustado e que dura poucos segundos. O infarto do miocárdio acontece quando uma parte do músculo cardíaco deixa de receber sangue pelas artérias coronárias que a nutrem. Esta falta de sangue leva o músculo à morte. Nessa situação clínica, a dor pode ser de maior ou menor intensidade e costuma ser acompanhada de outras manifestações: piora e maior duração da dor, queda de pressão, suor, palidez, inquietação, sensação de morte iminente e, por fim, confusão mental até a perda total da consciência e morte, caso não houver um pronto atendimento.


Fonte: ABC da Saúde


SAÚDE EM ALERTA

Para viver bem, para viver mais


Câncer de mama

Foto cancer.png


É a maior causa de morte por doença entre as mulheres do país e um dos diagnósticos mais temidos por elas. É bastante comum, sobretudo no Rio Grande do Sul, que é o segundo Estado em incidência da doença, perdendo apenas para o Rio de Janeiro. A estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA) prevê 85,5 de casos a cada 100 mil mulheres gaúchas para o ano de 2008. Apesar de temido, o câncer de mama tem 95% de chances de cura, se detectado precocemente. O problema é que poucas mulheres realizam exames preventivos periodicamente. O médico mastologista João Ethur fala conta que “o exame mais sensível para detecção de câncer de mama é a mamografia e, a ecografia um excelente complemento, possibilitando biópsias dirigidas com precisão”. Além da realização periódica de exames, é importante que as mulheres fiquem atentas ao seu corpo. Os sinais de alerta, segundo Ethur, são “abaulamentos, retrações de pele, edema de pele (tipo casca de laranja), sinais de inflamação sem dor, lesões do mamilo (secas ou úmidas), nódulos e secreção expontânea unilateral do mamilo, especialmente se incolor ou avermelhada”. Mas atenção, os sintomas não indicam propriamente a doença. É importante ir ao médico para ter o diagnóstico correto.

Alívio emocional

Foto emoção.png


A psicanalista Lisiane Machado indica a terapia de regressão para as pessoas que precisam trabalhar com mágoas, ressentimentos e perguntas freqüentes que levam a uma vida emocional sofrida, como: Por que eu nasci nessa família? Por que eu casei com o fulano(a)? Por que a minha vida é assim? De acordo com a profissional, além do auto-conhecimento proporcionado por esta técnica, a alternativa possibilita o encontro com a paz, devido ao conseqüente entendimento acerca do que estava mal esclarecido. “Se nossas feridas ainda doem é porque não houve perdão. E elas vão continuar alí para nos dizer o que precisa ser curado. O primeiro passo é ser humilde, buscar a mudança e, antes de tudo, é preciso querer”, aconselha Lisiane. Fica a dica. Afinal, o interior também merece atenção.

Tabagismo

Foto tabaco.png


De acordo com Everaldo Hertz, médico oncologista, no Brasil ocorrem aproximadamente 125.000 mortes anuais por doenças decorrentes do fumo. Ou seja, a cada 5 minutos um brasileiro falece por causa do cigarro. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que cada cigarro tire sete minutos da vida de quem o fumou. Os malefícios vão, literalmente, da cabeça aos pés. De acordo com o médico, cabelos, cérebro, olhos, pele, nariz, dentes, boca e garganta, pulmões, coração, esôfago, abdome, fígado, rins e bexiga, ossos, mãos, pernas, pés e sistemas reprodutores podem sofrem com os danos do cigarro. “Por isso todo paciente deve ser abordado sobre seu hábito de fumar, com a recomendação da cessação. Os esquemas terapêuticos de intervenção devem incluir tratamento medicamentoso e abordagem psicológica, se for o caso”, recomenda Hertz.


Terapia alternativa

Um adeus para as tensões


Por muito tempo, a medicina oriental foi vista como incerta pela maioria da população ocidental. Hoje, com a comprovação de que as tradicionais técnicas trazem benefícios à saúde e melhoram a qualidade de vida de quem as pratica, a dúvida deu lugar à procura, que é cada vez maior. Atualmente, há varias opções de terapias. Entre elas, uma possibilidade para quem busca o auto-conhecimento e o bem-estar físico e mental é o Caminho do Tao. O trabalho de reflexão, que está entre os serviços disponibilizados pelo Vida Zen Cursos & Terapias, espaço voltado para atendimento e cursos relacionados à terapia holística e vibracional, consiste em técnicas de alongamento e relaxamento, respiração, meditação e movimentos integrativos.

O Caminho do Tao também é uma boa opção para quem requer cuidados com a saúde. Através da prática, a pessoa conhece mais seu corpo, sua respiração e sua postura diante das situações cotidianas. Eunice Pereira Azenha, uma das coordenadoras do espaço, comenta que “é a partir dessa consciência que você começa a soltar as tensões e a desestressar, contribuindo então para a melhora no estado geral da saúde”. A união entre os métodos alternativos e a medicina moderna, de acordo com Eunice e Evandro Fachin, também coordenador do Vida Zen, tem sido uma opção cada vez mais comum para pacientes em tratamento, pois as terapias alternativas procuram equilibrar o corpo e a mente. Para quem não conhece a palavra, Tao significa a união dos opostos, harmonização das polaridades Ying/Yang, feminino/masculino.


Fotovidazen.jpg

Eunice e Evandro (foto) optaram pela terapia alternativa e convivem com os benefícios da mesma.

Créditos: Andrewes Pozeczek Koltermann


MEDITAÇÃO: De acordo com o site médico (www.sitemedico.com.br), no campo psíquico, a prática mantém a pessoa num relativo estado de equilíbrio, com uma lucidez que a impede de entrar em conflitos emocionais internos, principalmente de origem afetiva.


Pratique esporte, conquiste saúde

Coração valente e em boa forma


“O coração humano é um instrumento de muitas cordas. O perfeito conhecedor dos homens sabe fazê-las vibrar todas, como um bom músico.” Foi assim que o romancista Charles Dickens definiu o órgão muscular que bombeia o sangue de forma que circule no corpo. Na época, talvez ele nem soubesse a lição de vida que sua frase traria. Música só é boa se tem harmonia. Com o coração não é diferente. Incansável, ele não pára. Trabalha todos os dias. Harmonia é o que ele precisa para bem cumprir o seu papel. Estresse, cansaço, fadiga física e mental, má alimentação, depressão, irritação, trânsito, enfim, são vários os fatores que podem prejudicá-lo. Cabe a nós, a sensatez de cuidar-nos e, conseqüentemente, bem tratá-lo.

Conforme o Portal da Família, sítio eletrônico que se dedica à orientação e dicas de saúde, podemos esperar passar pelo infortúnio de uma doença cardíaca, levando apreensão e preocupação a nós mesmos e a toda família, ou agir preventivamente. O segredo é promover uma mudança no estilo de vida. O primeiro passo é a reeducação alimentar. Isso significa não apenas comer mais peixes, grelhar as carnes e evitar a gordura, mas também buscar uma dieta saudável, que contemple o consumo de legumes, verduras e frutas. Evitar o consumo excessivo de álcool e deixar de fumar também são atitudes importantes. O segundo aspecto está na atividade física prazerosa e regular. Dados do portal dão conta de que os exercícios aeróbicos promovem a dilatação das artérias coronárias, permitindo ao sistema cardiovascular receber a quantidade necessária de sangue para o bom metabolismo. Além disso, a sensação de bem-estar e elevação da auto-estima são efeitos colaterais certos e desejáveis. Entretanto, não é recomendável entrar de cabeça numa atividade física intensa. Sobre a prática de uma atividade física e a relação do coração, sabe-se que a regularidade e intensidade adequadas são componentes fundamentais para se dosar o exercício a níveis saudáveis e, claro, sempre acompanhados de um profissional responsável da área de saúde.


Fotocaminhada.jpg


A caminhada é indicada para todas as pessoas, desde que elas tenham realizado uma avaliação médica antes.

Créditos: Divulgação


PREVENÇÃO - Além dos cuidados com a alimentação e com a prática de atividades físicas, vacinar-se também faz bem ao coração. É o que comprovam estudos da Universidade de Minnesota, nos EUA. Eles afirmam que idosos que são vacinados contra a gripe, protegem-se também de problemas cardiovasculares, já que o vírus deixa corpo mais vulnerável a complicações no coração. O mesmo ocorre com quem sofre de algum problema cardíaco. A baixa imunidade facilita o contágio de outras doenças, e qualquer sobrecarga que venha a ocorrer nestes casos pode se tornar mais grave. As vacinas anti-influenza (contra o vírus da gripe) e anti-pneumococo (contra a principal bactéria causadora da pneumonia) têm especial indicação para pacientes cardiopatas. O médico responsável técnico da Clínica de Vacinas Multivacin, Wilson Roberto Juchem, faz um alerta: “Infelizmente a população necessita ser mais sensibilizada para esta realidade e investir na prevenção da gripe, através da indicação sistemática da vacina para todos portadores de doenças crônicas”. Vale a pena prevenir. O coração agradece.


PROMOVENDO SAÚDE - Foi pensando nisso que o 4° Show Room do Esporte superou as expectativas. O evento da Rede Brasil Esportes (RBE), realizado no Park Hotel Morotin, em Santa Maria, nos dias 27 e 28 de agosto, ultrapassou o objetivo de proporcionar maior competitividade aos lojistas associados. De acordo com a assessoria da rede, foram mais de 45 marcas esportivas participantes e mais de 100 lojistas de todo o Rio Grande do Sul. O encontro gerou troca de experiências e, com isso os negócios também tiveram cara de saúde. A qualidade dos artigos esportivos roubou a cena no evento e fica a dica: A escolha certa faz a diferença. Se você acha que isso é frescura, melhor mudar de idéia. A escolha da roupa e do tênis certo para correr ou praticar outra atividade física, por exemplo, não só evita lesões nos joelhos e na coluna, como oferece muito mais conforto.