SEARCH
TOOLBOX
modified on 2 de fevereiro de 2011 at 12h16min ••• 6 445 views

Quarta Colônia (163)

De Wiki.dois

04dedezembro2009Capa.jpg

Quarta Colônia

  • Data de Publicação: 04 de dezembro de 2009



Tabela de conteúdo

Especial Cidades & Cotidiano

Dona Francisca oferece lazer e cultura

O período de férias está chegando, e a Quarta Colônia oferece muitas opções de lazer, entretenimento e cultura. Uma delas é o Parque Histórico Municipal Obaldino Benjamin Tessele, fundado em 1985, na cidade de Dona Francisca. O local oferece aos visitantes uma ótima infra-estrutura, além de um cenário encantador, repleto de belezas naturais. Para descansar, os visitantes contam com áreas para camping (com água, luz, banheiros e churrasqueira) e para pesca (com banco de madeira e uma plataforma para os pescadores), laguinho, campo de futebol sete e uma pista de motocross para os apreciadores do esporte. Três restaurantes estão localizados a 200 metros do parque para atender aos visitantes.

E as opções não param por aí. Além de desfrutar de um ambiente agradável, praticar esportes e relaxar pescando, o visitante pode reviver um pouquinho da história dos ancestrais alemães e italianos. No parque estão localizadas duas casas: uma tipicamente italiana, onde se encontra um museu temático, e outra em estilo alemão, que traz uma exposição de fotos antigas. A entrada no parque é gratuita, mas quem quiser visitar deve entrar em contato com a Secretaria de Cultura, Desporto e Turismo durante a semana para agendar o passeio. O telefone para contato é (55) 3268 1235.


  • Em resumo: No Parque Histórico Obaldino Benjamin Tessele encontra-se um dos complexos turísticos mais interessantes da Quarta Colônia. Homenageando a história da colonização alemã e italiana, nele são encontradas réplicas de casas típicas das culturas, mobiliadas com objetos autênticos da época da colonização e observam-se, ainda, máquinas e equipamentos da época colonial. Possui estrutura para camping e lazer, acesso ao Porto do Rio Jacuí para a prática de canoagem, jet-ski e pesca. Nele também está localizado o museu aberto e fechado de Dona Francisca.


CapadafotoumpaginaumFoto parque.jpg

Parque Histórico Municipal Obaldino Benjamin Tessele

Créditos: Arquivo secretaria de Cultura, Desporto e Turismo.


Paginadacapafotodois2Foto camping.JPG

Para relaxar, o visitante tem churrasqueiras à disposição.

Créditos: Arquivo secretaria de Cultura, Desporto e Turismo


Foto paginacapafoto3tresmotocross.JPG

Pista de motocross é atração no parque.

Créditos: Arquivo secretaria de Cultura, Desporto e Turismo


Dona Francisca tem

  • Belezas incomparáveis: Quem for visitar Dona Chica tem a possibilidade de conhecer uma série de locais interessantes.


Confira os principais dados de alguns deles

  • Pórtico de entrada: O projeto arquitetônico e a execução são do Engenheiro Civil Cláudio Luiz Cantarelli. Sua altitude é 64 metros acima do nível do mar, a altura 4,5 metros e, a largura 16 metros.


Foto3 capapórtico.JPG


Créditos: Arquivo Emater


  • Igreja Matriz São José: Toda a religiosidade do povo franciscano é notável na Igreja Matriz de São José. A belíssima obra foi concluída em 1942, em estilo Romano e é considerada uma das mais belas igrejas do Rio Grande do Sul. No seu interior, é possível verificar imagens pintadas pelo artista italiano Ângelo Lazarini.


Fotocapa 4igreja.jpg


Créditos: Liana Merladete


  • Monumento Nossa Senhora dos Navegantes: Às margens do Rio Jacuí, no Parque Histórico Obaldino Benjamin Tessele, encontra-se também o Monumento à Nossa Senhora dos Navegantes, padroeira do município. O Projeto Arquitetônico é do Padre Onelis Sonsini, sua altura é de 9,5 metros, a largura de 19,5 metros e a área de 157 m2. A Execução é do engenheiro civil Cláudio Luiz Cantarelli.


Foto capafoto5monumento.jpg


Créditos: Liana Merladete


Pesquisa & Realidade

PALEO RS 2009

José Itaqui*


O PALEO RS 2009, atividade da Sociedade Brasileira de Paleontologia (SBP) e que tem a coordenação dos professores doutores Átila Augusto Stock Da-Rosa e Carla Bender Kotzian, ambos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), é um encontro anual de pesquisadores, alunos e professores, em Paleontologia de universidades públicas e privadas. O evento, que teve início ontem, dia 04 (quinta-feira), acontece no Centro de Apoio à Pesquisa Paleontológica (Cappa). Este evento contribui no sentido de integrar as ciências geológicas e paleontológicas no cotidiano da Quarta Colônia. Aproximar os pesquisadores, não somente aos sítios e afloramentos da Região, mas também à comunidade. Com este objetivo foram convidados professores das redes de ensino municipais e estadual da Quarta Colônia para participarem de duas oficinas que terão como temas: “Tempo Geológico” (de quatro horas de duração cada uma), ministrada pela Professora Dra. Marina Bento Soares/Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e “Conhecendo a flora e fauna fóssil do Rio Grande do Sul” (oito horas de duração), ministrada pela Dra. Ana Maria Ribeiro da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul. Estas oficinas têm inscrições limitadas e se dirigem a professores dos municípios membros do Condesus. Os PALEO RS são eventos anuais que oportunizam a estudantes e a pesquisadores mostrar o que vem sendo realizado no Estado neste campo das ciências. Para tal, estão sendo apresentados 36 trabalhos científicos entre os quais muito deles são produtos de estudos realizados em sítios da Quarta Colônia (São João do Polêsine, Faxinal do Soturno, Dona Francisca, Agudo e Restinga Seca). Todos estes trabalhos estão expostos, durante o evento, para a apreciação dos participantes e do público em geral que tiver interesse de conhecer e de se interar a esta realidade. A palestra de abertura deste evento científico e que contou com a presença dos prefeitos da Quarta Colônia, ocorrida ontem dia (03), às 18h, teve como tema central o GEOPARQUE QUARTA COLÔNIA. Para tratar deste projeto, em fase final de formatação, tivemos a presença do Geólogo Michel Godoy dos Serviços Geológicos do Brasil/CPRMRS e que conta com recursos, mediados pelo Condesus, do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC. A palestra apresentou os estudos que dão fundamentação técnica e cientifica à proposta, que ressalta a importância do nosso patrimônio geológico e paleontológico da Quarta Colônia. Hoje, sexta-feira (04), a palestra de encerramento abordará a “Micropaleontologia aplicada à indústria do petróleo”. Para falar sobre este tema foi convidado, pelo Condesus, o Dr. Oscar Strohschoen Jr, Gerente de Bioestratigrafia do CENTRO DE PESQUISAS DA PETROBRAS/CEMPES, Ilha do Fundão, Rio de Janeiro. No sábado (05), ademais das oficinas que ocorrerão no Cappa, serão desenvolvidas atividades de campo em sítios de Faxinal do Soturno, Dona Francisca, São João do Polêsine, Restinga Seca e Agudo. Temos utilizado em nossos artigos o conceito de desenquadre como uma provocação de re-leitura da realidade da Quarta Colônia e suas potencialidades de desenvolvimento. Nos anos 90, nos programas de Educação Patrimonial, tínhamos como metodologia básica, através dos conteúdos curriculares do Ensino Fundamental e Médio, a decodificação da realidade (atravessar suas propriedades materiais e simbólicas) para melhor entendê-la. Processo que tinha como objetivo apreendê-la na sua complexidade. Esta ferramenta de leitura permite que um sujeito, frente a um determinado elemento da sua realidade, faça-se perguntas e construa respostas. Distanciamento que nos permite construir uma leitura (ideia) de mundo e de sujeito frente a ele. Poder construir as nossas perguntas e respostas é um exercício de desenquadramentos, portanto básico para atuarmos com propriedade: como donos do nosso andar.

Secretário Executivo do Condesus condensus@quartacolonia.com.br


Pagina2fotoumFoto sede Cappa.JPG

O evento, que teve início ontem, dia 04 (quinta-feira), acontece no Centro de Apoio à Pesquisa Paleontológica (Cappa).

Créditos: Andrewes Koltermann


Quarta Colônia Viva

Produção leiteira é mais uma marca de desenvolvimento

Os desejos de prosperidade para 2009 estão prestes a se tornar realidade para os produtores de leite no município de Ivorá: o setor leiteiro está com a expectativa de aumentar em 12% a produção em relação ao último ano, segundo dados do escritório municipal da Emater-RS/Ascar. A produção tem ganhado destaque na cidade por ser uma das atividades econômicas que está em pleno desenvolvimento no município, apresentando índice de crescimento de 20% nos últimos dois anos. De acordo com o extensionista rural da Emater na cidade, o técnico agrícola Ademar Antonio Franchi, cerca de 120 famílias têm a renda mensal proveniente da produção de leite e de queijo colonial, em especial nas pequenas propriedades de agricultura familiar, nas quais o leite é uma alternativa rentável para a produção. Franchi confia nos planos para a atividade leiteira em 2010. “A Emater-RS e a secretaria municipal de Agricultura e Meio Ambiente planejam aumentar o incentivo à inseminação artificial, visando o melhoramento genético do rebanho leiteiro”. Os dois órgãos também pretendem incentivar a produção de silagem e de pastagens entre os agricultores, com o objetivo de garantir a alimentação do gado leiteiro ao longo de todo o ano.


FotoumpaginatresFoto Leite Ivorá.JPG

Além do apoio municipal, os produtores também estão investindo em formas de otimizar a produção por meio da aquisição de maquinário com ajuda do financiamento do Programa Nacional de Desenvolvimento da Agricultura Familiar.

Créditos: Arquivo Emater.


Nossa gente, nossa atitude

Amor pelo negócio

Acordar cedo, semear, plantar, colher, vender, voltar para casa, dormir. Esta é a rotina vivida por muitos produtores rurais. O produtor precisa de muita coisa, mas precisa muito mais de carinho, atenção, de uma pessoa que entenda suas aflições. E isso o senhor Luiz Cargnelutti tem. Aos 41 anos, com dois filhos, ele que trabalha com bovinocultura leiteira, além de plantar soja, milho e feijão em Ivorá, tem na esposa a sua força. “Por trás de um grande homem, sempre tem uma grande mulher já diz o ditado”, comenta. Assim como outros vários homens que vivem do campo, é uma pessoa de coração bom, tranquila e que, com esforço e dedicação, faz o seu trabalho bem feito. Quando questionado sobre o seu sentimento em relação ao município de Ivorá a voz muda de tom e já sugere um ar de emoção: “é um lugar tranquilo de se viver e que apesar das dificuldades, ela, a terra, me dá o que preciso para me manter forte e feliz”, resume. Cargnelutti, que trabalha com a lida no campo desde os 17 anos, há três investe esforços na atividade com bovinos de leite. Ele deixa uma mensagem para os trabalhadores rurais: “é preciso amar o negócio, ter gosto pelo o que se faz e cercar-se de pessoas que abraçam a causa pelo mesmo motivo”.


Foto2 3amorpelonegocioPerfil.JPG

Na foto, seu Cargnelutti, a esposa e um dos filhos.

Créditos: Arquivo Emater


Quarta Colônia a mil

  • Começou ontem (03), em São João do Polêsine, o Paleo RS. O evento é organizado pelo Núcleo da Sociedade Brasileira de Paleontologia e se estende até o dia 5. A escolha pelo município se deve pelo Centro de Apoio à Pesquisa Paleontológica (Cappa), que está em fase de construção, e futuramente abrigará um local de pesquisa na área. A cobertura do evento será publicada na próxima edição do Caderno Quarta Colônia.
  • Hoje (04) a Orquestra Sinfônica de Santa Maria realiza um concerto de natal em Faxinal do Soturno. O evento é aberto ao público e será realizado na Igreja Matriz.
  • No domingo (6) acontece, em Dona Francisca, a festa de Nossa Senhora Imaculada Conceição, na Comunidade Católica de Formoso. A programação inclui missa às 10h, almoço e festividades à tarde.


Agenda

Olimpíada Rural Comunitária em Ivorá

A 7ª edição da Olimpíada Rural Comunitária de Ivorá acontece neste sábado (05), a partir das 8h, na Linha Um. A competição entre as comunidades do município contará com provas nas modalidades de Futsal, Vôlei, Bocha, Cabo de Guerra, Corrida de Saco, Vaca Parada, Arremesso de Espiga de Milho, Corrida de Carrinho e Mordida de Maçã, entre outras. No evento, também será realizado um almoço de confraternização entre os competidores e a escolha da Garota Olímpica.


Olimpíadafotoum contracpRural - Cabo de Guerra.JPG

O evento é uma promoção do escritório municipal da Emater-RS/Ascar, da Secretaria Municipal de Agricultura, do Núcleo de Desporto e Lazer, da Comunidade Linha Um e do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Ivorá.

Créditos: Emater-RS/Ascar


Festa da Imaculada Conceição em Nova Palma

A Festa da Imaculada Conceição será realizada nesse domingo (06), na Paróquia Santíssima Trindade, em Nova Palma. O evento de homenagem à padroeira do município inicia às 10h, com Celebração Festiva, e continua ao meio dia, no Salão Paroquial, com almoço de confraternização. No dia 08 de dezembro, dia da Imaculada Conceição e feriado municipal, será realizada missa na Paróquia a partir das 8h. Para celebrar o dia da padroeira, o Salão Paroquial será utilizado para a comercialização de bolachas, pães e cucas ao longo da semana – amanhã, dia 05, serão vendidos assados de porco e de galinha no local. Para o almoço da Festa da Imaculada Conceição, as opções do cardápio incluem churrasco de gado e de ovelha, galeto, risoto, saladas, pão, cuca e buffet de sobremesas. Os convites antecipados para o almoço custam R$12,00 para adultos e R$6,00 para crianças. Na hora, há uma mudança no preço – os adultos pagam R$13,00, e as crianças, R$7,00.


Quarto Festivale de Gelato e Pizza em São João do Polêsine

O Quarto Festivale de Gelato e Pizza acontecerá neste domingo, dia 6 de dezembro, na Praça da Matriz, em São João do Polêsine, com início às 16h. O evento é uma promoção da Società Amici d’Italia, a qual também irá formar três turmas de língua e cultura italiana na ocasião. Segundo a presidente da associação, Maria de Fátima Giacomeli, o objetivo do Festivale é proporcionar à comunidade a manifestação, o resgate e a preservação da cultura da Quarta Colônia e de São João do Polêsine, principalmente entre os jovens.


Festivale2 4Gelato 4e Pizza.JPG

Apresentação de grupo de dança folclórica durante a última edição do Festivale de Gelato e Pizza, em São João do Polêsine.

Créditos: Società Amici d’Italia


Bom Garfo

Receita de Mini Pizza da Nona

Aproveitando a celebração da cultura da Quarta Colônia promovida pelo Quarto Festivale de Gelato e Pizza, em São João do Polêsine, siga a receita abaixo e aprenda a fazer um dos pratos mais deliciosos da cultura italiana em casa.


Ingredientes

  • 01 kg de farinha de trigo;
  • 01 sache de fermento biológico (10 g);
  • 02 ovos;
  • 01 colher de sopa de margarina;
  • 01 colher de sopa de açúcar;
  • 1/2 litro de água;
  • 03 colheres de chá de sal.


Preparo

  • Misture a farinha com o fermento e em seguida os demais ingredientes da receita, amassando com as mãos até obter uma massa lisa e enxuta;
  • Divida em pedaços de 200g ou 300g dependendo do tamanho da pizza, e 50g para minipizza.
  • Deixe descansar por 10 minutos.
  • Após o descanso, abra as massas em discos redondos, fure com garfo a superfície e deixe fermentar por aproximadamente 1 hora.
  • Leve ao forno pré-aquecido e pré-asse os discos por 7 minutos, depois monte as pizzas de acordo com o sabor que desejar.
  • Levar ao forno novamente por 10 minutos.


56893pizza6 contracapa14369537.jpg Créditos: Divulgação