SEARCH
TOOLBOX
modified on 22 de novembro de 2010 at 17h52min ••• 3 838 views

Pinhal Grande

De Wiki.dois

Capapinhalgrande.JPG

PINHAL GRANDE

  • Data de Publicação: 17 de março de 2008
  • Circulação: Circula encartado nas cidades de Santa Maria, Pinhal Grande, Caçapava do Sul, Julio de Castilhos, Santiago, Tupanciretã e suas respectivas regiões.



Tabela de conteúdo

Pinhal Grande completa 16 anos

Dos Pinhais ao Progresso:

Conheça a história da terra dos pinhais e acompanhe as novidades de uma das principais atrações turísticas da Quarta Colônia de Imigração Italiana.


16 anos de HISTÓRIA & DESENVOLVIMENTO

GRANDE Pinhal completa 16 anos


Conheça a história, a cultura e o processo de desenvolvimento da terra que comemora seu aniversário no dia 20


Foto07.JPG


Um acesso diferente. Uma paisagem natural ímpar. Muito verde. Um ar gostoso de respirar. Um caminho bonito para seguir. Esse é um raro percurso feliz em contato com a natureza, tão diferente quanto à dificuldade em acreditar que um lugar como esse esteja tão perto de nós. Logo alí. Na Quarta Colônia de Imigração Italiana.

Assim é a chegada a Pinhal Grande. O achado natural e rico foi criado pela lei municipal nº 9.600, de 20 de março de 1992. O município, ainda jovem, possui 474,80 km² localizados na região do Planalto Médio. O seu relevo é composto de gramíneas e mata nativa, destacando-se a dos Pinhas, que deu nome à terra.

Povoado por descendentes de italianos, portugueses e espanhóis, Pinhal Grande registra nas páginas de sua história a presença de diversas tribos indígenas, entre elas os Tapes. Os jesuítas foram os primeiros homens brancos a chegarem na cidade com a missão de catequizar os índios e atuar na criação de gado, utilizando a mão de obra indígena.

Mas foi o domínio português que intensificou a exploração destas terras. Hoje, baseada essencialmente nas atividades primárias da agricultura e da pecuária, a economia do município vem ganhando forma e destaque pelo cultivo de soja, feijão, fumo e milho, bem como pela fabricação de queijos e derivados e da cachaça e garapa, da cana-de-açúcar.

Emancipado de Júlio de Castilhos, além de arroios, o território de Pinhal Grande conta com a passagem do Rio Jacuí, onde está situada a hidroelétrica de Itaúba, com quatro geradores e 500 megawatts de potência. Localizada na divisa de Pinhal Grande com o município de Estrela Velha, a barragem foi construída entre 1972 e 1978. Sua inauguração oficial ocorreu no dia 9 de novembro de 1978 e, com 97 metros de altura e uma área alagada de 13.800 km², a usina também funciona como atrativo turístico. A abertura de suas comportas apresenta um verdadeiro espetáculo de beleza para o público.

A exploração do potencial turístico da cidade, que comemora seus 16 anos no dia 20 de março, avança progressivamente. De acordo com a diretora do Departamento de Cultura e Turismo, Neuta Tereza Garlet Dorold, o ecoturismo é uma atividade que ganha força. Segundo a diretora, os arroios “do tigre”, “Redomona”, “Ferreira” e “Taquarianos” proporcionam a possibilidade de acesso a belezas naturais que o turista não só do Estado, mas do país e do mundo encontram na busca pela paz e sossego. “A natureza é rica. A nossa terra é indiscutivelmente abençoada por Deus. O ecoturismo ganhou força e movimenta as nossas ações”, acrescenta ela.


Foto08.JPG

O verde revela a beleza natural da cidade.

Créditos: Arquivo Departamento de Cultura e Turismo


O que é que Pinhal tem?

  • Música e arte para todos: Entre fevereiro e dezembro de 2007 foram oferecidas à população Pinhal Grandense aulas de violão, teclado e vocal, entre outras habilidades. Ballet clássico, jazz, street dance, salsa e merengue também foram temas conferidos pela comunidade.
  • Artesanato dos bons: Cursos de pintura em tecido, bordado, desenho livre, biscuit, crochê e tricô capacitaram cerca de 85 alunos em 2007.
  • História e reflexão: Desde 1997, o Centro Cultural Municipal de Pinhal Grande vem reunindo relíquias antigas e apresentando à comunidade escolar e em geral a história da terra dos pinhais. Fotos e artigos doados pelas tradicionais famílias Prevedello, Rubin, Salgado, Baggio, Barichello e Dalmolin, entre outras, resgatam uma trajetória de trabalho e desenvolvimento. O espaço, pouco a pouco, ganha novas atrações e confere aos moradores o acesso à cultura.


Foto10.JPG Foto 09.JPG


A arquitetura e o resgate ao passado contam a história do município com influências indígenas e italianas.

Créditos: Andrewes Pozeczek Koltermann


16 anos de PLANTAÇÃO & COLHEITA

Foto pecuária.JPG Foto família jucelino facco.JPG

A pecuária é uma das principais atividades na cidade e a família de Jucelino Facco é apenas uma entre as mais de mil com o foco na agricultura familiar.

Créditos: Arquivo Prefeitura Municipal.


Foto saneamento básico.JPG


O saneamento básico é uma das conquistas de Pinhal Grande.

Créditos: Andrewes pozeczek Koltermann


Obras novas e terreno fértil para a diversidade apresentam a terra dos pinhais para o Brasil e para o mundo,big>


Calçamento nas principais ruas, construção de quadras esportivas para as comunidades Coxilhão dos Taquarianos, Rincão da Várzea, Mãe Rainha, Cerro Azul e Encruzilhada, além de construções de rede de água na sede do município e interior, mostram ao visitante de Pinhal Grande que os 16 anos lhe fizeram bem. A cidade já conta com a canalização de água nos bairros Limeira e São José e com o loteamento Alberto Pasqualini, que já tem rede de luz, água e esgoto sanitário para as famílias carentes.

Essas e outras mudanças como a construção da Casa de Cultura e do Centro Municipal de Saúde dão ao município, essencialmente rural, os ares da urbanização e, a possibilidade de garantia de qualidade de vida à comunidade pinhal grandense. Fortalecendo esse cenário, o campo é a menina dos olhos da cidade. A sua economia depende da produção primária e as suas principais atividades são a agricultura e a pecuária. Cerca de 65% da população vive no meio rural e a Emater/RS-Ascar calcula que já sejam 1.070 as propriedades rurais estabelecidas em seu território.

O secretário da Agricultura, Celso Vicente Dalmolin, e o chefe do escritório municipal da Emater/RS-Ascar, Jacimar Facco, descrevem o panorama. “A soja e a pecuária são os carros chefes para os grandes produtores. O fumo, o feijão e, inclusive o milho, são as culturas representativas dos pequenos produtores de Pinhal”, ressalta Dalmolin. Facco complementa apontando que têm concentrado esforços para atender todos os segmentos, mas que a aposta é o incentivo à diversidade: “Queremos que o agricultor explore novas áreas agricultáveis e de preservação permanente. E, assim projete-se no cenário nacional e mundial”.

A troca de experiências e o incentivo ao conhecimento de novas tecnologias e processos também são destaque em Pinhal Grande. Dalmolin conta que a educação é um ponto forte e que, hoje, as escolas têm um projeto de horto florestal para a disseminação de conhecimento técnico. Para os produtores locais são organizados dias de campo e visitas técnicas a eventos de grande porte, como foi o caso das feiras Expoagro e Expodireto.

Valdonei Lago, secretário da Fazenda, e Adílio Batistela, secretário de Obras, confirmam que os 16 anos de Pinhal Grande são realmente o reflexo do plantar e do colher. “Não queremos que o nosso jovem vá embora. Queremos que ele aprenda e colabore com o desenvolvimento da cidade. E, por isso planta-se com o incentivo e colhe-se com o retorno que eles dão”, diz Lago.

“Há algum tempo atrás nossa terra não tinha essa cara. Pinhal Grande só está completando 16 anos. A obra recém começou”, complementa Batistela.



No mês de aniversário tem festa

Figura1.jpg

O 16º aniversário de Pinhal Grande foi celebrado desde o dia 01 de março. As atividades alusivas à comemoração se estendem até o dia 26. A abertura oficial das festividades aconteceu no Salão Paroquial do Bairro São José do Pinhal e elegeu as soberanas da 7ª Olimpíada Rural. Um festa em homenagem à Nossa Senhora das Graças, a coleta de exame preventivo sem agendamento, recreação com os grupos da 3ª idade e o encontro regional das mulheres marcaram a programação da celebração no decorrer dos dias. Teatro, atividades com gestantes, encontro com foco na humanização e uma reunião com os prefeitos da Quarta Colônia também deram destaque ao cronograma de atrações para a comunidade. De acordo com a administração municipal, a Páscoa também será celebrada. No dia 23, acontece uma festa em honra à Santa Terezinha. Uma missa festiva, um almoço e uma reunião dançante, animada pela banda Linear, irão compor o cenário da troca de chocolates.


16 Anos ENSINO & QUALIDADE DE VIDA

Foto educação.jpg

Arquivo Prefeitura Municipal.


A comunidade escolar agradece

Programas sociais e de inclusão fazem parte do cotidiano das crianças de Pinhal Grande


Os censos escolares revelam que das 163 mil escolas de ensino fundamental no País cerca de 66% não têm biblioteca ou sala de leitura, 16% operam sem energia elétrica, 6,5% não têm esgoto, 7% não têm sanitários para professores e alunos e 2,5% não têm água. Estas são majoritariamente municipais e localizam-se, na maioria das vezes, na zona rural. Felizmente, essa realidade é muito distante de Pinhal Grande. No ano de 2007, uma série de projetos aproximaram a comunidade escolar da arte, da cultura e da inclusão digital.

Confira os principais:


  • Programa "A Escola é Nossa": Trabalho com vistas na melhoria do ambiente escolar e da área pedagógica. Laboratório de Informática: A secretaria municipal de Educação disponibiliza um laboratório de informática com acesso à internet para uso dos professores, a fim de realizarem pesquisas e aprofundarem seus estudos.
  • Mostra Cultural e Mostra de Danças: Tem como objetivo proporcionar aos alunos e professores de séries iniciais a integração e socialização entre alunos e professores e, entre as escolas. Os colégios realizam apresentações artísticas e, a cada ano, a criatividade e o estímulo à auto-estima são trabalhados.
  • Programa “Brasil Alfabetizado”: Foram organizadas duas turmas para alunos que não tiveram acesso à escola no tempo hábil. As turmas são para alunos adultos que hoje sentem as necessidades surgidas das dificuldades por não terem tido a oportunidade de alfabetizar-se. O programa visa o desenvolvimento da leitura, da escrita e da inclusão.
  • Programa ‘A União Faz a Vida”: Proposta de educação cooperativa dedicado à formação de cidadãos engajados em um ambiente de cooperação e integração com a comunidade. Os alunos integrantes vivenciam os princípios do cooperativismo, entre eles a educação, a formação e o interesse pela comunidade, com o objetivo de buscar o comprometimento social e o resgate da cidadania. O programa foi implantado em 2006 e teve continuidade em 2007, por meio de uma parceria entre o SICREDI, a secretaria municipal de Educação e a UNIJUÌ.
  • Projeto “Vivências e Experiências para Jovens”: Visa motivar os alunos a partir da 5ª série para uma profissão e, ajudar a utilizar a propriedade rural como alternativa de trabalho e renda, contribuindo na melhoria da qualidade de vida e fixação do homem no meio rural.


SAÚDE.JPGCentro municipal de saúde.png


O centro Municipal de Saúde atende toda a família, dos pequenos aos grandes.

Arquivo Prefeitura Municipal.


Do recém-nascido ao idoso:

Espaço para a saúde da comunidade já tem um ano


Há um ano Pinhal Grande inaugurou o Centro Municipal de Saúde. O espaço, direcionado para a saúde da família pinhal grandense, responde pela atenção básica à população. A assistência é realizada por duas equipes especializadas na área e, atividades voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde dos indivíduos e das famílias têm dado maior segurança à comunidade.

De acordo com a secretaria municipal de Saúde, o objetivo é promover a qualidade de vida. “Do recém nascido ao idoso, para os sadios e para os doentes. Nosso objetivo é estar presente de forma integral e contínua, estimulando a organização da comunidade e a efetiva participação popular”, ressalta a secretária Estela Regina Garlet.