SEARCH
TOOLBOX
modified on 22 de outubro de 2010 at 17h31min ••• 2 493 views

Fenarroz – Edição 2

De Wiki.dois

CapaAlterada-1-.JPG

FENARROZ - EDIÇÃO 2

  • Data de Publicação: 31 de janeiro de 2008
  • Circulação: Circula encartado nas cidades de Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul, Lajeado e suas respectivas regiões.



Tabela de conteúdo

Da preparação à rotina de trabalho: 15ª Feira Nacional do Arroz já gera expectativa e atrai negócios

15ª edição da Fenarroz vem aí

Foto FENARROZ.JPG

Expositores guardam segredo sobre suas máquinas, equipamentos e implementos.

Créditos: Divulgação


Da história, as perspectivas de negócio para o evento:

Cultivado supostamente há mais de 12 mil anos em certas regiões da Índia e da China, o arroz hoje é parte integrante da vida de milhões de pessoas no mundo inteiro. Reservado quase que exclusivamente para a alimentação humana, a cultura constitui metade do regime alimentar de 2 bilhões de pessoas e está entre 25% e 50% da dieta de outras 500 milhões. Com essa característica, nada mais natural do que a comunidade de Cachoeira do Sul orgulhar-se por sediar um evento dado como referência mundial para o mercado orizícola: A Feira Nacional do Arroz (Fenarroz).

Após 65 anos de sua criação e 14 edições de sucesso, a Fenarroz é uma referência universal para o mercado orizícola. Considerada o segundo maior evento do ramo em todo o mundo, ficando atrás somente de uma feira realizada em Nice, na França, a feira é sempre aguardada com expectativa dada a sua inovadora programação em entretenimento e sua projeção positiva para o fechamento de negócios entre empresas e produtores de diversas partes do país e do mundo.


Celetro na 15ª Fenarroz:

Atendendo a 20 mil associados, distribuídos em 28 municípios da região central do Estado, a Cooperativa de Eletrificação Centro Jacuí Ltda (Celetro) está inserida no cenário de desenvolvimento desencadeado pela Fenarroz. O presidente, José Benemídio de Almeida, conta que a cooperativa participará da feira junto à Associação das Cooperativas de Cachoeira do Sul (Ascoop).

Para ele, a oportunidade significa progresso: “O agricultor precisa, cada vez mais, diminuir custos de produção e, isso só acontecerá com o desenvolvimento de tecnologias aplicadas no dia-a-dia. A Fenarroz para nós e para os demais expositores representa progresso, pois vem consolidando a importância do conceito de modernidade para a sobrevivência no mercado”, aponta ele.

A Celetro foi fundada no dia 09 de setembro de 1969 por um grupo de pessoas que buscavam o desenvolvimento regional, a partir da energia elétrica. Hoje, o grupo legitima o cooperativismo com projetos e programas que têm representatividade em mais de 20 municípios.


Celetro1.JPG

A equipe técnica da cooperativa atua no atendimento aos chamados, com eletricistas sempre próximos de seus associados.

Créditos: Divulgação


SUSPENSE

Surpresa é a palavra de ordem para a próxima edição:


Com a responsabilidade de manter seus títulos, a edição de 2008 promete uma diversificada grade de programação e o fechamento de negócios interessantes no cenário orizícola. Contudo, um clima de suspense paira entre a executiva da Fenarroz. Segundo o presidente do evento, Érico Razzera, a mídia, os empresários e a comunidade quer saber o que está previsto para a tradicional festa, que acontecerá de 24 de maio a 01 de junho. Mas a surpresa é a palavra de ordem.

Razzera conta que 90% dos espaços para expositores já está vendido. Entretanto, prefere o suspensa a divulgação: “Nós temos expositores de nível internacional e nacional. Grande parte deles está confirmada, porém a executiva da Fenarroz trabalha com o sigilo não só em prol da surpresa que tradicionalmente o evento mantém, mas por uma questão profissional”. O presidente justifica a atitude devido ao caráter de lançamento que a feira prega. “As maiores empresas do setor orizícola do Brasil e de vários países do mundo guardam sob sete-chaves suas máquinas, equipamentos e implementos para apresentarem aos clientes durante a Fenarroz. Tem muita coisa que vamos abrir somente na abertura dos portões”, enfatiza ele.

Quando questionado sobre as perspectivas do evento, ele é taxativo: “Se hipoteticamente o evento fosse realizado amanhã, dado os fatores preço e produção do arroz, teríamos uma feira maior do que a anterior, sem dúvida”. À frente da executiva desde a 13ª edição e, na diretoria desde a 8ª, Razzera revela que a programação de shows desta edição começará a ser divulgada em maio.

Então, o suspensa continua e as expectativas aumentam.


Foto presidente.JPG


Érico Razzera afirma que o suspense é a estratégia da 15ª Fenarroz

Créditos: Divulgação


Bonitas e Competentes

Beleza também é sinônimo de inteligência: As soberanas confirmam


Bonitas. Estudiosas. Comprometidas. Essas são apenas algumas das qualidades das soberanas da 15ª Fenarroz. A rainha Mariana Amaral e as princesas Camila Kelling e Renata Streit, além da responsabilidade de representação da maior feira orizícola do Mercosul, têm uma rotina de estudo e compromisso com o futuro. Mariana, que deu um show de elegância e desenvoltura no palco no dia de sua coroação, em novembro último, ingressa no ensino superior em março. “Vou começar o curso de direito na Ulbra de Cachoeira do Sul e acredito que a preocupação e a dedicação aos estudos me permitirão não só colocar em prática o aprendizado que a feira me proporcionará, como abrirá as portas do mercado de trabalho”, ressalta ela.

A rotina de Camila não é diferente. Com apenas 17 anos ela cursa o terceiro semestre de administração de empresas, também na Ulbra de Cachoeira, e revela: “Conciliar o estudo e os compromissos com a feira é um compromisso difícil e, talvez, um pré-requisito para representarmos esse grande evento”. A bela conta que uma minuciosa pesquisa em livros históricos e na internet lhe deram suporte para o concurso e que o conhecimento adquirido será essencial nas negociações que irão acompanhar a partir de fevereiro. Kelly, estudante de arquitetura e urbanismo da UFSM compartilha do posicionamento das colegas e diz que o seu segredo é focar-se na feira quando está em Cachoeira do Sul e nos estudos, quando está em Santa Maria. Mesmo com uma jornada dupla de trabalho, a moça se prepara diariamente para a rotina prevista de eventos e visitas.

Sobre o assunto, o presidente da feira, Érico Razzera, anuncia: “A agenda das nossas soberanas será intensa. Os compromissos iniciam em fevereiro e elas participarão ativamente de feiras, eventos tradicionais e visitas de negociação. São as beldades das tratativas e têm a responsabilidade de divulgar o evento e sua história com propriedade”.


Soberanas.JPG

Rotina de eventos e estudo fazem parte do cotidiano das belas.

Créditos: Arquivo pessoal


Uma história entrelaçada ao desenvolvimento

Conheça o Engenho Treichel


Constituído em 12 de março de 1963, o Engenho Treichel é resultado do espírito empreendedor de Alfredo Treichel, que iniciou suas atividades como produtor em 1954. Atualmente, o engenho ocupa 100 mil metros quadrados, com 6,5 metros de armazéns convencionais e mais 19 silos.

Com uma estrutura moderna e na lista das 50 maiores empresas do ramo no Brasil, seu diferencial é o selo de qualidade Abiap. Conforme as informações disponibilizadas pela empresa, a parboilização de arroz com qualidade surgiu em 1970 e o Engenho Treichel foi um dos pioneiros. “A empresa adotou o conceito de indústria de alimentos, cada vez mais preocupada com a qualidade do produto e saúde do consumidor”, finaliza Alfredo Treichel, um dos responsáveis pela tradicional história de sucesso empresarial.


Alfredo e érico.JPG

O reconhecimento do produto é tamanho que os Estados Rio de Janeiro, São Paulo e Minhas Gerais, além do Rio Grande do Sul e alguns municípios do nordeste, o adotaram na merenda escolar.

Créditos: Arquivo Treichel.


Na Fenarroz desde 1976

Concessionária New Holland aproveita evento para divulgar sua missão e produtos


Situada na região central do Estado, a concessionária New Holland Líder Tratores atende a 83 municípios, possui uma oficina mecânica onde a empresa busca a qualificação de seus mecânicos e, através de treinamentos com técnicos especializados no Centro de Treinamento em Curitiba, aperfeiçoa seus serviços.

Com destaque para uma seção com grande estoque em peças para tratores, colheitadeiras e implementos de diversas marcas, a empresa também trabalha com insumos agrícolas, defensivos, sementes e comercializa grãos. A Líder Tratores presta assistência técnica e assessoria em projetos de investimentos agropecuários e outro fator que merece ênfase é o seu departamento veterinário, com produtos de renomados laboratórios e disponibilização de assessoramento na implantação de pastagens e calendários de sanidade para os rebanhos de seus clientes.

A Líder Tratores participa da Fenarroz desde 1976 e faz do evento um meio de divulgação da empresa e de seus produtos. A organização procura, com isso, atingir seu publico alvo: agricultores e pecuaristas da região e de todo o Estado. Nas edições que participa apresenta lançamentos de produtos de seus principais fornecedores e parceiros.

A Líder acredita que as últimas edições da Fenarroz trouxeram visitantes de diversas localidades, tanto do Estado como do Pais e do Mercosul. Para Juliana Jaeger Beckel, o fator é a forma mais adequada de mostrar o potencial de cada empresa e indústria de Cachoeira do Sul: “Para a edição de 2008, a Líder está otimista, uma vez que o mercado vem se mostrando em recuperação em todos os seguimentos do agronegócio e, com esta expectativa, a New Holland trabalha com o lançamento da colheitadeira TC5090, que estará na sua primeira safra em 2008, além dos lançamentos da nova série 30, modelos 7630 e 8030”, adianta a sócia-administradora da concessionária.


008.JPG

A Líder Tratores participa da Fenarroz desde 1976 e faz do evento um meio de divulgação da empresa e de seus produtos.


Tira-teima


Confira as últimas sobre o arroz no cenário mundial


  • Exportações de arroz superam em 17% a expectativa para 2007:

As exportações de arroz pelo Brasil superaram a expectativa prevista para 2007 e alcançaram 295 mil toneladas. O volume é 17% superior ao esperado pelo setor arrozeiro para o ano e confirma um crescimento das saídas do produto nos últimos três anos.


  • Importações em pauta:

Em dezembro de 2007, as importações caíram quase pela metade em relação ao mesmo período de 2006. Conforme os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), foram importadas 62,9 mil toneladas. O total de importações de 2007 chegou a 992 mil toneladas, um incremento de 12% em comparação com 2006. Argentina, Paraguai e Uruguai lideraram como principais exportadores ao Brasil.


  • Arroz deve alcançar 13,1 milhões de toneladas em 2017/2018:

A produção de arroz no Brasil deverá corresponder em 2017/18 a 13,1 milhões de toneladas, segundo estudo divulgado neste mês pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O relatório “Projeções do Agronegócio Mundial e do Brasil” considera 16 produtos agrícolas e estima a produção de 2006/07 até 2017/18. O Brasil, seguindo o documento, ainda estará posicionado como importador líquido da commodity durante o período analisado. A importação de arroz para 2017/18 estará entre 1 e 2 milhões de toneladas, enquanto o consumo está estimado em 14,7 milhões de toneladas.


  • Lançamento da 18ª Abertura da Colheita do Arroz aconteceu no dia 24 de janeiro:

O Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) e a Federação das Associações dos Arrozeiros do Estado (Federarroz) lançaram na quinta-feira (24), a 18ª Abertura Oficial da Colheita do Arroz. O evento, na Estação Experimental do Irga, em Cachoeirinha, contou com uma visitação à área que abrirá a colheita gaúcha.


Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior , Instituto Rio Grandense do Arroz e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


797705 16527018.JPG 204043 7133.JPG