SEARCH
TOOLBOX
modified on 7 de janeiro de 2011 at 17h20min ••• 3 385 views

Agronegócios: Desenvolvimento, Cooperativas & Sindicatos - Especial: Culturas Alternativas

De Wiki.dois

EspecialculturalalternativascapaprontaCapa.JPG

Agronegócios: Desenvolvimento, Cooperativas e Sindicatos

  • Data de Publicação: 26 de junho de 2009



Tabela de conteúdo

Agronegócios: Desenvolvimento, Cooperativas & Sindicatos

  • Especial Culturas Alternativas
  • Inovação: sinônimo de rentabilidade
  • Nesta edição: Girassol é destaque: Confira o conselho de especialistas para lucrar
  • Informação vale ouro: Não perca as últimas notícias no mundo do Agronegócio


Panorama Rural

A alternativa é progredir

A relação do homem com o campo é muito próxima, e se expressa pelas inúmeras atividades do Agronegócio. Além das culturas tradicionais, a pecuária e outras atividades representam as inúmeras possibilidades de se investir na produção rural. Um espaço novo, e que vem sendo explorado a cada ano, é a produção de culturas alternativas. “Elas são culturas que podem garantir novas fontes de renda aos agricultores, seja na forma de grãos ou na transformação em biocombustíveis e derivados”, esclarece Luiz Antônio Rocha Barcellos, assistente técnico regional de solos e culturas da Emater Regional de Santa Maria.

Os mais lucrativos

Dentre estas alternativas, uma das opções mais rentáveis é o girassol. Utilizado para a produção de grãos e biodiesel, ele divide espaço com a mandioca e a batata-doce, voltadas para consumo humano, e com a cana de açúcar, utilizada na produção do álcool, de açúcar mascavo e de cachaça. Na região de Santa Maria, o girassol ocupa uma área de aproximadamente seis mil hectares. “Os produtores utilizam a cultura do girassol como alternativa à soja, em função do baixo rendimento obtido com o grão, em especial pela ação das repetidas estiagens”, destaca Barcellos. O preço e a comercialização do girassol são garantidos através de parcerias entre os produtores e empresas da iniciativa privada. Uma das culturas com maior demanda na região é a cana-de-açúcar, e sua utilização tende a se expandir em função do incentivo à construção de mini-usinas de álcool. “A Emater Regional está acompanhando, há dois anos, 23 variedades de cana trazidas para a região, avaliando durante o outono e o inverno questões como rendimento físico por hectare, resistência a geadas e incidência de doenças”, afirma Barcellos. A mandioca também ganha atenção da pesquisa, sendo feita a análise de sete cultivares e avaliações de rendimento por hectares, nos municípios da região de Santa Maria. A Emater estimula as culturas alternativas através da instalação de áreas demonstrativas e de avaliações constantes do rendimento físico e econômico, apresentando os resultados em reuniões técnicas ou nos dias de campo. Considerar as culturas alternativas dentro do zoneamento agrícola é fundamental, assim como o planejamento em função do acesso ao crédito bancário e das condições do clima. “A canola se mantém no mercado para a produção de biodiesel como uma das alternativas de inverno”, finaliza Barcellos.


FotoumpaginadoisGirassol Enc Sul floração.JPG

Uma das opções mais rentáveis é o girassol

Créditos: Arquivo Emater


CanadeaçucarfotodoispaginadoisFormigueiro Dia-de-Campo Cana 74 080723.JPG

A utilização da cana-de-açúcar pode expandir.

Créditos: Arquivo Emater

Utilização do Girassol

  • Silagem
  • Alimentação animal na forma de farelo
  • Óleo nas industrias de tintas, farmacêutica, comésticos, limpeza.
  • Adubação verde
  • Biodiesel
  • Alimentação humana


Câmara quer incluir laranja e demais citros na Política de Garantia de Preços Mínimos

CamaraquerincluirlaranjafototrespaginadoisFoto citrus.JPG

Conforme informações divulgadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, incluir a laranja e os demais citros na Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) é o objetivo do documento que os membros da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Citricultura vão elaborar e encaminhar à Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SPA/Mapa), até o fim deste ano. O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de suco de laranja.


Prática e Sustentabilidade

Pastagem para equinos

A opção pelo pasto como dieta principal na alimentação dos equinos pode ser uma boa pedida. Durante o verão, há uma boa formação de massa foliar e um excelente desenvolvimento protéico, girando em torno de 12%, o que se traduz em desenvolvimento e saúde para os animais. Para os equinos, os pastos mais indicados são os do gênero Panicum, com destaque para os capins Áries, Aruana e Tanzânia, todos eles exigindo atenções especiais dos produtores. “Para a formação de uma boa pastagem, devemos levar em consideração a análise do solo, o manejo das pastagens e a manutenção dos minerais”, salienta Giuliano Souza, gerente das Sementes Gasparim no Rio Grande do Sul. Ele alerta que os capins do gênero Panicum costumam sequestrar grandes quantidades de cálcio do solo, o que exige o uso de minerais específicos para equinos, preferencialmente na forma orgânica, para complementar a concentração de proteína e o grande volume ofertado. Outro cuidado a ser tomado é em relação ao desgaste do pasto, já que esses animais costumam consumir também as raízes. “Para isto, basta ficarmos atentos ao porte da planta, sempre respeitando a altura de pastejo”, finaliza Souza.


PastagemparaequinospaginatresfotoumFoto gasparim.JPG

Souza (foto) alerta que os capins do gênero Panicum costumam sequestrar grandes quantidades de cálcio do solo, o que exige o uso de minerais específicos para eqüinos.

Créditos: Arquivo Gasparim


O segredo de quem faz

A integração entre lavoura e pecuária é uma alternativa moderna, capaz de responder a necessidade de se atingir produtividades altas, com qualidade e com baixo custo, através de boas práticas de manejo, tecnologia e rastreabilidade.

A Fazenda São Xavier, localizada em Tupanciretã, é exemplo de empreendimento rural. A propriedade atua desde 1954 no melhoramento genético e aprimoramento de seus planteis bovinos Angus, Brangus, Limousin, Ovinos Ilê de France e Cavalos Crioulos. Na busca da satisfação e atendimento das necessidades de seus clientes procura selecionar animais que possuam genética de alto desempenho nas condições ambientais e de manejo alimentar da maioria das fazendas do Rio Grande do Sul e Brasil. Ou seja, com base alimentar principalmente à pasto. Os reprodutores ofertados, machos e fêmeas, devem atingir a idade reprodutiva ou de produção aos dois anos de idade e potencial de rentabilização no sistema de integração lavoura-pecuária.


OsegredodequemfazfotodoispaginatresFoto são xavier.JPG

A integração lavoura e pecuária é uma boa opção.

Créditos: Arquivo Fazenda São Xavier.


Dica da boa

  • A manutenção do maquinário é item fundamental na lista de tarefas de qualquer produtor. Garantir a vida útil das peças e máquinas garante economia e rentabilidade na produção. Uma boa dica é aproveitar este período para que o maquinário seja revisado, aproveitando o momento de menor atividade. “Fazer anotações de materiais que possuem maior quebra durante sua utilização e manter um pequeno estoque de peças, para agilizar o processo de manutenção e evitar o desperdício, é uma boa pedida”, afirma Luciano Ramos, responsável pelo setor de vendas e marketing da Comeg Peças Agrícolas. Para ele, o período entre safras é uma boa hora, pois é quando o produtor dispõe de maior tempo para dar atenção aos detalhes que, muitas vezes, são as garantias de produtividade.
  • Estar atento ao sistema de exaustão de seu veículo é fundamental para se alcançar economia e garantir a vida útil do motor, assim como evitar a emissão de gases tóxicos e poluentes. Investir em qualidade, mantendo sempre em dia a manutenção das peças, e adotando produtos originais são posturas que o proprietário consciente deve manter. “Os componentes com danos, adaptações ou com problemas mais sérios comprometem o motor e a rentabilidade do veículo”, salienta Fernando Bellé, proprietário das Surdinas Bellé. Ele conta que 23% da frota circulante no País necessita de reparos nos escapamentos e catalizadores, o que em cidades como São Paulo, se traduz em mais de um milhão de veículos. Este expressivo número de carros com problemas são responsáveis por grande parte das emissões de gases no meio ambiente, poluindo e estimulando doenças respiratórias e cardíacas. “Ficar atento para ruídos estridentes, ressonâncias e outras alterações no sistema de exaustão e procurar assistência técnica especializada são formas de evitar problemas ao veículo e ao meio ambiente”, finaliza Bellé.


Direto do campo

Mundo

Crise diminui preços agrícolas

A crise econômica diminuiu os preços dos produtos agrícolas, comparados com as altas de 2007 e 2008. Entretanto, eles voltarão a subir em dois ou três anos, assim que a economia mundial se recuperar. A informação foi dada pela Organização para a Coordenação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), em um relatório conjunto. Segundo as organizações, a moderação dos preços dos produtos agrícolas e a queda da produção e o consumo associada à crise deverá ser controlada com uma recuperação econômica em dois ou três anos. Em um horizonte de dez anos, as organizações prevêem um encarecimento dos produtos vegetais em termos reais de 10% a 20%, e de mais de 30% nos óleos vegetais. Sobre a carne, as perspectivas relatam que o nível de preços não será superior ao do período 1997-2006. Acredita-se que crise atual vai fazer com que os consumidores tendam a escolher as mais baratas, como o frango. Os preços dos produtos lácteos também subirão e o relatório conclui que será necessário um aumento de 40% na produção de alimentos antes de 2030 e de 70% até 2050, para suprir as necessidades mundiais.


País

Cooperativas Brasileiras do outro lado do mundo

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) quer ampliar as relações das cooperativas brasileiras com o mercado chinês. Junto com os departamentos de Cooperativismo e Associativismo Rural e de Promoção Internacional do Agronegócio, o ministério está organizando missões comerciais à China para estimular as comercializações entre os dois países. O programa contempla uma missão comercial ao País, em julho. Esta iniciativa tem finalidade de preparar as cooperativas brasileiras para estabelecer ações comerciais no exterior e trazer mais conhecimentos sobre os mercados chineses. Cidades como Pequim, Tianjin e Hong Kong serão visitadas durante a estadia do grupo brasileiro, que vai ao país para conhecer as particularidades do mercado chinês. Outro momento do projeto é uma nova missão em novembro, onde representantes do ministério e de entidades brasileiras participação da 13ª edição da Food & Hotel China – FHC 2009.


Estado

É dada a largada para os preparativos da próxima safra de arroz

DadaalargadaparasafradearrozfotoumFOTO ARROZ.jpg

Legenda: Na comercialização, o cenário é de dificuldade.

Créditos: Divulgação

Enquanto esperam por chuvas mais abundantes que possibilitem a plena recuperação das barragens, os orizicultores gaúchos seguem preparando, em ritmo bastante intenso, as próximas lavouras. Conforme o Informativo Conjuntural de Emater/RS-Ascar, devido ao tempo mais seco verificado ultimamente, em importantes municípios produtores, aproximadamente 80% das áreas disponíveis à cultura já estariam sendo trabalhadas. Na comercialização, contudo, os produtores de arroz seguem enfrentando dificuldades, com os preços em baixa.

Fenarroz - O presidente da 16ª Feira Nacional do Arroz, empresário do setor dos transportes em Cachoeira Do Sul, Érico Razzera, apresentou no último dia 10, em entrevista coletiva no Parque da Fenarroz, o novo sistema de eleição das soberanas do evento. A partir deste ano, a corte de Rainha e Princesas será escolhida por eleição direta na comunidade cachoeirense. A inovação pretende promover uma grande mobilização da comunidade e, conforme Razzera, envolver toda a população no lançamento oficial da divulgação do maior evento orizícola da América Latina e o segundo maior do mundo (atrás somente da feira de Nice, na França). As inscrições das candidatas a Rainha e Princesas da 16ª Fenarroz encerram no dia 15 de julho. Quando questionado sobre onde a executiva está investindo esforços no momento, o presidente informou estarem implementando as mudanças prometidas no momento da reeleição. A intenção é profissionalizar e otimizar os investimentos realizados.


Região

Volksfest já é planejada

Agudo se prepara para mais uma edição da Ein Volksfest. O evento que chega em sua XVI edição já faz com que a cidade se prepare para receber os visitantes. Neste ano a abertura das atividades da festa acontecerá no dia 18 de julho com XV Encontro de Corais, na Sociedade Cultural Esportiva Centenário. A abertura oficial da Expovolks e Feira de Artesanato será no dia 24 no Centro Desportivo Municipal.